Archive | Immunitarian Democracy RSS feed for this section

Tribunal de Justiça legitima genocídio dos negros

Por Edson Teles: 66% das mortes em partos são de mulheres não brancas no Brasil. Se sobreviver ao nascimento, a criança negra (e também a indígena) tem o dobro de chance de falecer nos cinco primeiros anos de vida em relação à criança branca. Uma em cada quatro crianças abandonam a escola ainda no ensino […]

Continue reading

O mergulho da galinha

Por si ou por causa dela? Por Eleutério F. S. Prado[1]: Na situação atual do Brasil, a política neoliberal de austeridade visa destruir as parcas conquistas históricas dos trabalhadores, as quais se consubstanciaram na assim chamada socialdemocracia – que, neste país grande e periférico, aliás, nunca chegou ao pleno desenvolvimento. Ela quer substituir a sociabilidade […]

Continue reading
Dubai-in-the-Fog

Agamben: A democracia é um conceito ambíguo

Entrevista com Giorgio Agamben “Diria que a democracia é menos um conceito genérico do que ambíguo. Usamos esse conceito como se fosse a mesma coisa na Atenas do século V e nas democracias contemporâneas. Como se estivesse em todos os lugares e sempre bem claro de que se trata. A democracia é uma ideia incerta, […]

Continue reading

The storm is underway and we have no shelter

SB: “As voltas de um parafuso…” Franco ‘Bifo’ Berardi and Mark Fisher discuss exhaustion, the financial crisis, aesthetic resistance and the ‘slow cancellation of the future’ (2013) [*] By Mark Fisher and Franco ‘Bifo’ Berardi: Mark Fisher:  The first chapter of my new book, Ghosts of My Life, is titled ‘The Slow Cancellation of the […]

Continue reading
David Turnley, A young woman prepares a sign for the mass protests at Beijing’s Tiananmen Square, 1989.

A periodic reminder about social constructs

By Adam Kotsko: The mainstream debate about social constructs shows how deeply engrained individualism is in the American psyche. From an individualist viewpoint, there are two categories that a claim to knowledge can fall into: objective (existing “out there” in the real world) or subjective (all in your head). The concept of a social construct […]

Continue reading

Against the Romance of Community Policing

By Stuart Schrader: “I would define community as a technology of social intervention and manipulation. How community creates adhesion among people is hidden by the embedded assumptions of boundedness, cohesiveness, and harmony in typical usage. The very working of the technology itself erases politics, erases the vast inequalities in access to power and resources that structure […]

Continue reading

Otimismo Cruel na Pós-Democracia

Na pós-democracia, os direitos e garantias fundamentais também são vistos como mercadorias Por Rubens Casara: Na pós-democracia o significante “democracia” não desaparece, mas perde seu conteúdo, ou seja, não há mais um modelo de Estado no qual existe participação popular para a tomada das decisões políticas somada ao esforço dos agentes estatais para a concretização […]

Continue reading

Política sem política

Por Anselm Jappe “Uma coisa me espanta prodigiosamente, eu ousaria dizer que me estupefaz: é que no momento científico em que escrevo, após inumeráveis experiências, após escândalos cotidianos, ainda possa existir em nossa querida França […] um eleitor, um único eleitor, este animal irracional, inorgânico, alucinante, que consinta desviar-se de seus afazeres, de seus sonhos, […]

Continue reading
DEXTER Serie in SHOWTIME Photo by Christian Weber

Les «psychopathes» arrivent

Un adieu à «l’ère du narcissisme» Par Götz Eisenberg: “La seule chose dont on peut être sûr aujourd’hui, ce sont les catastrophes vers lesquelles nous fonçons. Toute alternative dépendra de l’action humaine. La société actuelle porte encore en elle les possibilités de quelque chose de meilleur, mais pour réaliser ces possibilités, on ne peut se […]

Continue reading

Democracia de efeito moral

Por Edson Telles: “É como se estivéssemos diante de um laboratório de tecnologia de governo para lidar com os dilemas políticos e sociais no século XXI. Testa-se no país uma democracia de efeito moral. (…) Sob a superfície do discurso de uma govenabilidade consolidada e exemplar, encontramos formas de agir cuja astúcia é serem autoritárias […]

Continue reading
Rage by Dave Nitsche

Os limites da resistência à crise na Ucrânia

Por Rall Canti: A crise do capitalismo atinge inexoravelmente os países em desenvolvimento e manifesta-se das mais variadas formas. Ucrânia, Venezuela, Egito, Síria, Filipinas, Turquia só para citar os mais recentemente acossados por manifestações e guerras com bandeiras diversas, apontam para Continentes inteiros em desespero. Porém, as massas saem às ruas e mantém as lutas […]

Continue reading

Workers of the world cannot unite…

By Michael Roberts: In a recent post I relayed the results of a study of the global inequality of wealth (that’s property and financial assets) recently produced by the top experts in the field, Tony Shorrocks and Jim Davies (Global-wealth-inequality).  The study revealed that the top 1% of wealth holders in the world had 41% […]

Continue reading

Se a semente não morre, não dá fruto

Por Sérgio Baierle: “O recente outono brasileiro mostrou, além da indistinção política e do poder das ruas, a falência múltipla da parafernália participativa no Brasil. Há muito tempo o presidencialismo de coalizão, junto com os simulacros de participação embutidos em conferências, conselhos e orçamentos participativos tornaram-se sistematicamente hidropônicos. Longe, muito longe da vida real.” –  […]

Continue reading

A mãe de todas as reformas?

Por Adriano Codato: Seja lá qual for o “recado das ruas”, as jornadas de junho no Brasil correm o risco de terminarem numa retumbante decepção. A falta de modulação entre as demandas anunciadas nos cartazes dos manifestantes e a resposta que o mundo político deu a elas não poderia ser mais completa. Cidadãos exigiram melhor […]

Continue reading

As manifestações no Brasil e a crise do capitalismo

Por Rall: As manifestações de rua têm sido explicadas comumente como sendo protestos por mais democracia, ou seja, participação direta do povo nas decisões de governo. Aqui no Brasil, fala-se também na não polarização da política, pela tendência do partido que está no poder fazer amplas alianças em nome da governabilidade, que termina mascarando os […]

Continue reading