Archive | Fahrenheit 451 RSS feed for this section

Breaking bad. Série blanche

Emmanuel Burdeau (dir.): “Breaking Bad dépeint l’économie légale comme un simple décor, un paysage de carton-pâte à l’intention des dupes. (…) tout est truqué : les machines de la blanchisserie de Gustavo Fring cachent des passages secrets vers un laboratoire souterrain de fabrication de métamphétamine, et les camions frigorifiques de Los Pollos Hermanos transportent, cachées […]

Continue reading
razzia

Pilhagem Social

Por Franz Schandl: “Os saqueadores são os últimos e mais recentes aproveitadores da aceleração do ímpeto capitalista, que não consegue mais, porém, funcionar convencionalmente. Auto-impelidos, eles são o mais puro modelo da flexibilização de direitos e da desregulamentação. Se o mais enxuto dos Estados é uma quadrilha de criminosos…” Mosaico de uma desintegração feito com […]

Continue reading
Pulcinella By Parbusart in Deviant

Ucrânia – A dualidade de nacionalismo e desmoronamento do Estado

Por Gerd Bedszent: “O que se vai esgotando atualmente na Ucrânia é, portanto, um ‘nacionalismo do desespero social’ (Robert Kurz). Um nacionalismo de desespero que age pouco menos barbaramente do que o seu modelo histórico. A ‘autarquia econômica’ da Ucrânia, promovida pelas associações fascistas armadas, aponta afinal para a instalação de uma administração da pobreza […]

Continue reading

A automatização da produção e a lógica do capital

Por Hall Canti: – Estudo mostra que quase metade dos trabalhadores americanos (47%) devem perder seus empregos em poucas décadas com a automação da produção e de atividades cognitivas –  A imprensa dos centros econômicos tem-se mostrado agitada com as pesquisas e publicações sobre o impacto dos avanços da microeletrônica e da informática na produção […]

Continue reading
Desenho por Luísa Baierle

J’accuse: os verdadeiros vândalos

Resposta à burguesia sul-riograndense e seus asseclas – Por Daniel Cunha: É cada vez mais frequente que vocês, burgueses e seus asseclas da mídia e do Estado, mais a grande parte da classe média que vocês convencem graças ao enorme poder de seus meios de comunicação, nos chamem de “vândalos”. Isso porque fazemos manifestações que […]

Continue reading

Benjamin e il capitalismo

Por Giorgio Agamben: Há sinais dos tempos (Mateus, 16, 2-4) que, mesmo evidentes, os homens, que perscrutam os sinais nos céus, não conseguem captar. Eles cristalizam-se em eventos que anunciam e definem a época que vem, eventos que podem passar despercebidos e não alterar em nada ou quase nada a realidade a que se juntam […]

Continue reading

And if there is no way out?

“The Economic Recovery That Isn’t Happening” – By Immanuel Wallerstein: Most    politicians and pundits have a vested interest in promising better times ahead, provided their policy advice is followed. The current worldwide economic difficulties have provided no exception to this behavior. Whether the discussion focuses on unemployment in the United States or the escalating costs of […]

Continue reading

Are free individuals the necessary prerequisites for a successful struggle for freedom?

By Anselm Jappe: I have good news and bad news. The good news is that our old enemy, capitalism, seems to be undergoing a very serious crisis. The bad news is that, for the moment, no discernable form of social emancipation is really within our reach; furthermore, nothing can guarantee that the possible end of […]

Continue reading

O enigma do precariado e a nova temporalidade histórica do capital – Parte 2

Por Giovanni Alves: [trecho] A barbárie social na perspectiva de larga temporalidade histórica tende a corroer, no plano da consciência contingente, aquilo que Lev Vygostki denominou “funções psicológicas superiores especificamente humanas”, isto é, a capacidade de planejamento, memória voluntária, imaginação etc. Estes processos mentais construídos no decorrer da evolução histórico-cultural da humanidade são considerados sofisticados […]

Continue reading

Dead Man Working

An analysis of the dead man working and the way in which capital is now colonizing life itself – By Carl Cederström & Peter Fleming: [excerpt] Even its most ardent supporters admit that capitalism died sometime in the 1970s. All attempts to resuscitate it failed. Yet strangely, now that it’s dead, it’s become the only […]

Continue reading

O enigma do precariado e a nova temporalidade histórica do capital – Parte 1

Por Giovanni Alves: Na medida em que incorpora o fetichismo da mercadoria, o capital como modo estranhado de controle do metabolismo social, permeia o mundo social com enigmas e mistificações que nos provocam. Por isso, a necessidade hoje, mais do que nunca, da consciência crítica capaz de apreender, com radicalidade dialética, processos sociais que surgem […]

Continue reading

La crise des ressources comme point de rupture du contrat social

Par Andreas Exner, Christian Lauk & Konstantin Kulterer [1]: Le fordisme ne s’est pas contenté de délocaliser ses contradictions vers la périphérie : il les a également évacuées vers l’avenir. Les âpres luttes sociales du XXe siècle ont abouti à un mode de gestion des conflits qui consiste à prendre la nature pour « dépotoir […]

Continue reading

Le mouvement des piqueteros: Argentine 1994-2006

Pour Bruno Astarian: Présentation – (…) Dans l’histoire mondiale du prolétariat, il n’y a pas d’exemple où l’on ait vu les chômeurs développer une activité propre aussi approfondie et construite que celle des piqueteros argentins. Le chômage, même quand il est massif, est le plus souvent considéré et vécu comme l’antichambre du travail, tandis que […]

Continue reading

Giorgio Agamben: Política da profanação versus religião do consumo

Por Demétrio Cherobini: Em 1921, Walter Benjamin escreveu um breve artigo que viria a público somente após sua morte: O capitalismo como religião. Nele o filósofo acreditou ter decifrado três das principais características da sociedade capitalista de seu tempo, enquanto fenômeno intrinsecamente religioso. O capitalismo seria, em primeiro lugar, uma religião essencialmente cultual: o dinheiro, […]

Continue reading

O casamento entre democracia e capitalismo acabou

Por Slavoj Zizek: [pronunciamento no acampamento do movimento Ocupar Wall Street, no parque Zuccotti, em Nova York] Durante o crash financeiro de 2008, foi destruída mais propriedade privada, ganha com dificuldades, do que se todos nós aqui estivéssemos a destruí-la dia e noite durante semanas. Dizem que somos sonhadores, mas os verdadeiros sonhadores são aqueles […]

Continue reading