Archive | Capital Direct Democracy RSS feed for this section

Neoliberaler Keynesianismus

Por Robert Kurz: “Não é surpreendente que o keynesianismo de crise se revele a continuação do neoliberalismo por outros meios. Ambas as doutrinas se ligam incondicionalmente ao modo de produção capitalista, como pressuposto inultrapassável. Nesta crise histórica eles tornam-se idênticos, porque tanto o Estado como o mercado apenas podem executar os limites da valorização do […]

Continue reading

El espectáculo: fase suprema de la abstracción

Por Anselm Jappe: “Las condiciones principales en que se funda el espectáculo son dos: ‘la incesante renovación tecnológica’ y ‘la fusión económico-estatal’, y tres son las principales consecuencias, particularmente en su fase más reciente: ‘El secreto generalizado, la falsedad sin réplica y un perpetuo presente’. El espectáculo no es por tanto un mero añadido del […]

Continue reading
Montjuic Cemetery Barcelona

Nem os baixos salários vos salvam!

A ilusão do Capitalismo da miséria e das prestações de serviços Por Norbert Trenkle: “Tal como o Neoliberalismo concebe um retorno à ‘normalidade capitalista’ através de privatizações, desregulamentação e salários baixos, também a esquerda concebe, precisamente no terreno desta mesma ‘normalidade’, poder voltar às gloriosas lutas pela regulamentação, pela intervenção Keynesiana do Estado de Bem […]

Continue reading

Pro Bono? On philanthro-capitalism as ideological answer to inequality

By Mikkel Thorup: (…) “The term ‘philanthrocapitalism’ expresses the idea that capitalism is or can be charitable in and of itself. The claim is that capitalist mechanisms are superior to all others (especially the state) when it comes to not only creating economic but also human progress; that the market and market actors are or […]

Continue reading

Bater contra a parede

Sobre as causas comuns da crise ecológica e da econômica – “As crises são sempre crises de crescimento / Com o tipo de crescimento de que aqui se fala (…) No final há apenas a alternativa entre a desintegração social e o saque dos recursos naturais. / Mas, se o capitalismo é considerado tão natural […]

Continue reading

Neodesenvolvimentismo e precarização do trabalho no Brasil – Parte III

Por Giovanni Alves: “Apesar dos inegáveis méritos nas políticas distributivistas para as camadas pobres da população brasileira, o neodesenvolvimentismo como novo choque de capitalismo na terceira modernidade brasileira, promoveu a precarização existencial que, em si e para si, como precarização do trabalho, é o lado perverso da precarização do sujeito humano como sujeito capaz de […]

Continue reading
church_profit_by_sociopart

Feminism and Neoliberal Governmentality

By Johanna Oksala, University of Helsinki: “A fundamental feature of neoliberal governmentality is not just the eradication of market regulation, for example, but the eradication of the border between the social and the economic: market rationality—cost-benefit calculation—must be extended and disseminated to all institutions and social practices.” Abstract: The article investigates the consequences for feminist […]

Continue reading

Um desastre de governo

Por Paulo Muzell: Dando uma de “bonzinho”, Fortunati beneficiou os empresários. Tarifa calculada pelo TCE: 2,85. Redução do PIS/COFINS, menos 3,68%, passa a 2,74. Isenção do ISSQN, menos 2,5% e temos o que seria a tarifa final: 2,67. Ao fixar em 2,80, o prefeito deu um “plus tarifário” de 13 centavos para a ATP. O […]

Continue reading

Porto Alegre das construtoras

Pelo Blog Quem dá Mais? – “A campanha de José Fortunati arrecadou cerca de R$ 5,5 milhões, com R$ 3,7 milhões (67% do total) provenientes de companhias de construção (…) Percebemos portanto uma forte preferência do setor de construção pelo candidato Fortunati, que sozinho recebeu um montante quase 7 vezes maior que os demais candidatos.” […]

Continue reading

Tarifa zero e mobilização popular

Por Paulo Arantes: O pacto está ruindo e a presidenta está propondo uma reedição desse mesmo pacto: reinserir todos dentro do Estado, os sem terra, o agronegócio, o violador dos direitos humanos, a defensoria dos direitos humanos etc… Esse pacto explodiu agora, e é preciso reestabelecer o nexo político perdido que, para mim, está no […]

Continue reading

Le grand bond en avant de la charité

Pour Monique Selim: – “Au « clochard » des années 50, au « marginal » des années 60-70, contre le « système », au chômeur des années 80-90, s’est désormais substituée l’image du pauvre « fou », bipolaire, psychotique et/ou schizophrène.” –  Dès les années 80, l’expression charity business fait son apparition pour désigner l’ampleur […]

Continue reading
Desenho por Luísa Baierle

J’accuse: os verdadeiros vândalos

Resposta à burguesia sul-riograndense e seus asseclas – Por Daniel Cunha: É cada vez mais frequente que vocês, burgueses e seus asseclas da mídia e do Estado, mais a grande parte da classe média que vocês convencem graças ao enorme poder de seus meios de comunicação, nos chamem de “vândalos”. Isso porque fazemos manifestações que […]

Continue reading

Entrevista: OP agoniza em Porto Alegre

Entrevista ao Comitê Popular da Copa em Porto Alegre: “Porto Alegre é conhecida mundialmente por ser a cidade da participação popular, dos Fóruns Sociais. Mas na avaliação do cientista político Sérgio Baierle, ativista da ONG Cidade, atualmente trata-se de uma participação cívico-folclórica, um ritual identitário sem maiores consequências. Assim como ocorre o acampamento gaudério no Parque da Harmonia ou o […]

Continue reading

Benjamin e il capitalismo

Por Giorgio Agamben: Há sinais dos tempos (Mateus, 16, 2-4) que, mesmo evidentes, os homens, que perscrutam os sinais nos céus, não conseguem captar. Eles cristalizam-se em eventos que anunciam e definem a época que vem, eventos que podem passar despercebidos e não alterar em nada ou quase nada a realidade a que se juntam […]

Continue reading

A financeirização da burocracia sindical no Brasil

Por Alvaro Bianchi e Ruy Braga: Desde a eleição de Lula da Silva, em 2002, a relação do sindicalismo brasileiro com o aparelho de Estado modificou-se radicalmente. Nunca é demais rememorar alguns fatos. Em primeiro lugar, a administração de Lula da Silva preencheu aproximadamente metade dos cargos superiores de direção e assessoramento – cerca de […]

Continue reading