Archive | Capital Direct Democracy RSS feed for this section

O Reverso da Liberdade

O valor da desenvoltura – Por Massimo De Carolis: “[Q]uanto mais a fundo os dispositivos de cálculo penetram na vida social, mais essa ‘vida’ é colocada a serviço das relações de poder, a criatividade é submetida ao controle e a inteligência é esvaziada e transformada em mera técnica administrativa.” O espírito do liberalismo clássico está […]

Continue reading

Studenti

Di Giorgio Agamben: Dovrebbe essere chiaro, infatti, che in una società dominata dall’utilità, proprio le cose inutili diventano un bene da salvaguardare. A questa categoria appartiene lo studio. La condizione studentesca è anzi per molti la sola occasione di fare l’esperienza oggi sempre più rara di una vita sottratta a scopi utilitari. Versão em português […]

Continue reading
bondage_by_daxhammond in deviant

¿Y si dejamos de ser ciudadanos?

Manifiesto por la desocupación del orden – Por Santiago López Petit: El (buen) ciudadano ya no es sólo el que es cívico y vota, sino el que está dispuesto a hacer de su vida una continua inversión capitalista en el pleno sentido de la palabra. “Tener una vida” significa invertir dinero, esfuerzo y tiempo, en […]

Continue reading
Dubai-in-the-Fog

Agamben: A democracia é um conceito ambíguo

Entrevista com Giorgio Agamben “Diria que a democracia é menos um conceito genérico do que ambíguo. Usamos esse conceito como se fosse a mesma coisa na Atenas do século V e nas democracias contemporâneas. Como se estivesse em todos os lugares e sempre bem claro de que se trata. A democracia é uma ideia incerta, […]

Continue reading

O suicídio da “classe média”

Por Maurilio Lima Botelho: “É quase uma “astúcia da razão” que sejam exatamente as camadas médias as principais atingidas pela terceirização irrestrita. O ressentimento destas contra os mais pobres já era um resultado da precarização: a crítica norte-americana Barbara Ehrenreich mostrou como, nos EUA, os profissionais de “classe média” sofreram um choque ao ter que […]

Continue reading

Crise do trabalho hoje

Desenvolvimento tecnológico, instabilidade do emprego e crise do capitalismo – Por Maurilio Lima Botelho: Há mais de uma década, a discussão sobre a “crise da sociedade do trabalho” foi relegada, no Brasil, ao quarto de despejo da teoria social. A profunda crítica dirigida ao papel central ocupado pelo trabalho tanto na filosofia e ciência burguesas (liberalismo, […]

Continue reading

Financeirização: Disciplina do Mercado ou Disciplina do Capital?

Por John Milios e Dimitris P. Sotiropoulos[1]: 1.  Introdução às discussões recentes: neoliberalismo, financeirização e crise. Um aspecto crucial de quase todas as abordagens contemporâneas sobre o imperialismo é a ideia de que o domínio neoliberal e do setor financeiro globalizado sobre o sistema econômico produz uma versão predatória de capitalismo, um capitalismo que inerentemente […]

Continue reading

Crisis sistémica del capitalismo y guerras de las altas finanzas

Por Rémy Herrera: [Excerto] Ninguna de estas corrientes de pensamiento (ultraliberal, neoclásico, neoliberal o nuevo keynesianismo) sugiere reflexionar sobre las condiciones de un proceso de rebasamiento del capital como en la relación social de explotación y opresión – no la mayoría de las proposiciones “de izquierda” (por ejemplo, las que reclaman la reforma del FMI […]

Continue reading

O Fim do Direito

Hipóteses sobre a extinção de um princípio formal do Ocidente Por Franz Schandl: “Esta crise do Direito não diz respeito apenas à disciplina jurídica, como crise interna; ela é um fenômeno social. Também não pode ser resolvida pelo instrumentário jurídico. O Estado de Direito não é quebrado por quaisquer inimigos externos, mas pela sua própria […]

Continue reading

Affamare la bestia: il metodo del New Public Management

Por Christian Marazzi: Si chiama New Public Management, nuova gestione pubblica, quel programma di riforme, ispirato ai modelli di gestione delle risorse umane all’opera nell’economia privata, che ha accompagnato il processo di aziendalizzazione dei servizi pubblici negli ultimi anni. Si tratta di un insieme di procedure, o “puzzle dottrinale”, in cui si intrecciano vari principi, in particolare la […]

Continue reading

Neoliberaler Keynesianismus

Por Robert Kurz: “Não é surpreendente que o keynesianismo de crise se revele a continuação do neoliberalismo por outros meios. Ambas as doutrinas se ligam incondicionalmente ao modo de produção capitalista, como pressuposto inultrapassável. Nesta crise histórica eles tornam-se idênticos, porque tanto o Estado como o mercado apenas podem executar os limites da valorização do […]

Continue reading
Montjuic Cemetery Barcelona

Nem os baixos salários vos salvam!

A ilusão do Capitalismo da miséria e das prestações de serviços Por Norbert Trenkle: “Tal como o Neoliberalismo concebe um retorno à ‘normalidade capitalista’ através de privatizações, desregulamentação e salários baixos, também a esquerda concebe, precisamente no terreno desta mesma ‘normalidade’, poder voltar às gloriosas lutas pela regulamentação, pela intervenção Keynesiana do Estado de Bem […]

Continue reading

Pro Bono? On philanthro-capitalism as ideological answer to inequality

By Mikkel Thorup: (…) “The term ‘philanthrocapitalism’ expresses the idea that capitalism is or can be charitable in and of itself. The claim is that capitalist mechanisms are superior to all others (especially the state) when it comes to not only creating economic but also human progress; that the market and market actors are or […]

Continue reading

Bater contra a parede

Sobre as causas comuns da crise ecológica e da econômica – “As crises são sempre crises de crescimento / Com o tipo de crescimento de que aqui se fala (…) No final há apenas a alternativa entre a desintegração social e o saque dos recursos naturais. / Mas, se o capitalismo é considerado tão natural […]

Continue reading

Neodesenvolvimentismo e precarização do trabalho no Brasil – Parte III

Por Giovanni Alves: “Apesar dos inegáveis méritos nas políticas distributivistas para as camadas pobres da população brasileira, o neodesenvolvimentismo como novo choque de capitalismo na terceira modernidade brasileira, promoveu a precarização existencial que, em si e para si, como precarização do trabalho, é o lado perverso da precarização do sujeito humano como sujeito capaz de […]

Continue reading